Lactose



Intolerância à lactose – como lidar com este problema?

Esta doença é causada pela falta da enzima “lactase”, responsável pela “digestão” do açúcar do leite (lactose) e de seus derivados. Este problema quase sempre é hereditário e, nestes casos, esta deficiência primária em lactase é um problema que dura a vida inteira, sendo necessário substituir o leite e seus derivados na dieta. Mas também existe outro tipo de intolerância à lactose chamada de “secundária”. Estas formas são adquiridas e podem ser transitórias, como por exemplo, as complicações de diarreias infecciosas intensas que provocam alterações na mucosa do intestino com diminuição da quantidade de lactase, podendo haver recuperação com o passar do tempo.

É importante diferenciar a intolerância à lactose de outro quadro chamado alergia às proteínas do leite de vaca. Neste último, ocorre uma reação inflamatória alérgica, com formação de anticorpos contra estas proteínas e com possíveis manifestações no sistema digestório e em outros locais como pele e trato respiratório. A diferença pode ser estabelecida pela história clínica e pesquisa de anticorpos contra as proteínas do leite de vaca (no sangue ou na pele), além de prova terapêutica que consiste na exclusão das proteínas e observação da melhoria dos sintomas.

A intolerância a lactose pode ser facilmente controlada excluindo-se os alimentos que contém lactose como leite e derivados, permitido que a criança ou o adulto tenha uma vida saudável.

Dicas sobre a dieta:

  • Alimentos permitidos: carnes, vegetais, frutas, gorduras, óleos, açúcares (exceto lactose).
  • Grupo dos pães, massas e cereais: observar se na composição dos pães e massas não incluam leite e seus derivados.
  • Grupo do leite, iogurte e queijos: EVITAR todos os produtos que contenham lactose. Alguns leites já são produzidos sem lactose. No caso dos queijos, pode-se optar pelos a base de soja (como o tofu), e nos iogurtes deve-se seguir a orientação MÉDICA (algumas crianças reagem bem a lactose fermentada destes produtos, outras não).
  • Habitue-se a ler as embalagens de TODOS os produtos que adquirir para o seu filho (sopas, pães, biscoitos, “papinhas”, etc.)
  • Avise a todos que convivem com a criança (mesmo que esporadicamente) sobre a necessidade de seu filho evitar lactose.
  • Alimentos processados podem conter uma série de ingredientes que muitas vezes não estão especificados no rótulo. Prefira os alimentos naturais preparados por você ou pessoas de sua confiança.
  • Para compensar a falta de cálcio, inclua na dieta de seu filho: espinafre, brócolis, feijão branco, queijo tofu, couve cozida.



Veja mais textos e informações úteis em nosso Blog sobre a saúde infantil - http://saudeinfantil.blog.br/

TOPO DA PÁGINA