Dores de cabeça: quando procurar um pediatra?



As dores de cabeça leve e moderada são uma das queixas mais prevalentes na infância e na adolescência. Enquanto nas crianças geralmente ela é bem leve e pode estar associada à distúrbio de visão, hipoglicemia, sinusites e outros fatores socioambientais; nas crianças maiores podem estar associadas ao estresse ou mesmo a doenças como enxaqueca ou tumores encefálicos.

Nos jovens, a cefaleia tensional normalmente vem ao longo do dia, produzindo uma pressão em ambos os lados da cabeça e atinge o pescoço, geralmente em resposta ao estresse.

A enxaqueca ocorre em 10% dos adolescentes, especialmente nas meninas, e é caracterizada como uma dor que parece bater em um lado do crânio, e pode ser precedida por uma perturbação visual. Quando isso ocorre, chamamos de aura. Uma aura pode diminuir dentro de minutos, enquanto a dor pode durar, em média, por várias horas. Ela pode ocorrer frequentemente, várias vezes por semana, ou raramente, com anos entre os episódios.

Existem muitas causas possíveis ou fatores desencadeantes de enxaqueca, incluindo estresse, vários alimentos e a constrição dos vasos sanguíneos na cabeça e pescoço, o que reduz a circulação de sangue para o cérebro. Aparentemente, um gatilho estimula anormalmente algumas células do cérebro, disparando impulsos elétricos minúsculos, e esta ondulação estimula os receptores de dor ao longo do caminho.

Sintomas de dores de cabeça podem incluir:

1) Dores de cabeça de tensão (pescoço e base da cabeça);
2) Dor constante e maçante em ambos os lados da cabeça;
3) Sensação de aperto na cabeça, irradiando para o pescoço;
4) Dores de cabeça pulsante, com alteração visual (enxaqueca).

Enxaqueca com aura:

1) Distúrbio visual, chamado de aura;
2) Latejante, dor incapacitante que começa em um lado da cabeça e, ocasionalmente, envolve o outro lado;
3) Sonolência;
6) Sensibilidade à luz;
7) Diarreia, náuseas ou vômitos.

Causas de dores de cabeça

As dores de cabeça frequentemente aparecem em doenças causadas por vírus, amigdalite, alergias, sinusite e infecções do trato urinário.

Outras causas comuns incluem:

1) Fome ou sede;
2) Sono insuficiente;
3) Alimentos específicos e bebidas, como chocolate, queijos duros e envelhecidos (gorgonzola, etc), pizza, iogurte, nozes, feijão, carnes processadas, algumas frutas e sucos;
4) Aditivos alimentares (glutamato monossódico, nitratos, nitritos) e certos suplementos dietéticos, medicamentos sem receita médica e remédios (pílulas anticoncepcionais, tetraciclina, doses excessivas de vitamina A);
5) Alimentos e bebidas que contêm cafeína (refrigerantes, café, chocolate);
6) Álcool, cocaína e outras substâncias ilícitas;
7) Outros casos, como: brilho do sol, fadiga, infecções dentárias, alterações hormonais durante o ciclo menstrual de uma menina, mudanças no clima, ranger os dentes, esforço físico, traumatismo craniano.

Como as dores de cabeça são diagnosticadas?

O exame físico e histórico médico completo serem para fazer uma hipótese diagnóstica. Além disso, são solicitados exames de tomografia computadorizada, ressonância magnética, punção lombar, que serão realizados, somente se uma condição séria é suspeita.

Como as dores de cabeça são tratadas?

As dores de cabeça respondem melhor ao tratamento quando estão ainda em seus estágios iniciais. Se o adolescente tem uma dor ocasionada por tensão, deve-se incentivá-lo a se deitar e relaxar, com a cabeça um pouco elevada. Um banho quente e colocar uma compressa morna ou fria na testa e / ou pescoço podem ajudar a aliviar o incômodo.

Para quem sofre de enxaqueca, é importante minimizar a estimulação sensorial: desligue as luzes do quarto, feche as cortinas, peça aos membros da família para manter o nível de ruído baixo e assim por diante. A bolsa de gelo ajuda aqui também, mas não se deve aplicar o calor, porque só vai piorar o incômodo.

Terapia medicamentosa:

Deve ser dada conforme a orientação do pediatra ou do neuropediatra e pode incluir desde analgésicos comuns a medicamentos específicos para enxaqueca, além de anticonvulsivantes e remédios para depressão.

Como podemos ver, existem muitas coisas que podem levar uma criança ou um jovem a ter dores de cabeça. Para facilitar o diagnóstico correto, procure seu pediatra e observe as seguintes questões:

1) Quando a dor de cabeça ocorreu;
2) Quanto tempo durou;
3) O que estava fazendo quando a dor de cabeça começou;
4) Alimentos consumidos naquele dia;
5) Quantidade de sono na noite anterior;
6) Quaisquer observações sobre o que parece fazer com que a dor de cabeça melhore ou piore.

Identificar e eliminar o fator precipitante de dores de cabeça, seja ele certo alimento, um medicamento, uma situação, pode reduzir significativamente a sua ocorrência.

As dicas abaixo podem ajudar os jovens a evitar dores de cabeça:

1) Ter a quantidade adequada de sono;
2) Se possível, alimentar-se com refeições regulares. Se não, comer lanches com frequência;
3) Exercite-se regularmente;
4) Estar ciente de quaisquer razões para suas dores de cabeça, já que podem ajudar você a identificar quando ela começa.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Caring for Your Teenager (Copyright © 2003 American Academy of Pediatrics)

Leia mais sobre dor em:

A dor e o estresse na emergência pediátrica




Veja mais textos e informações úteis em nosso Blog sobre a saúde infantil - http://saudeinfantil.blog.br/

TOPO DA PÁGINA