Ambiente Saudável



Como pais, tutores ou responsáveis por crianças, devemos proporcionar a elas um ambiente saudável, tentando afastar os riscos de acidentes, procurando segurança no transporte e nas brincadeiras, assim com proteger as crianças de substancias nocivas que fazem parte do nosso dia a dia.

Lembre-se que boa parte do tempo à criança passa em casa, portanto cuidados com janelas, escadas, fornos e panelas devem sempre estar na mente de pessoas que cuidam de crianças, principalmente as menores.

Transportando as crianças com segurança

As crianças necessitam ser transportadas de maneira segura, e como isto deve ser feito, vai variar de acordo com o peso e o tamanho das crianças. Criança com problemas especiais veremos em uma seção a parte.

As crianças devem ser transportadas sempre que possível em equipamentos desenhados para serem utilizados em carros, e nunca nos braços dos pais.

Quando comprar uma ″cadeirinha¨" para carro, lembre-se de ler as instruções de instalação e utilização, verificando sempre se o peso e o tamanho da criança que irá utilizar está dentro das especificações do fabricante. Procure comprar equipamentos que tenham selo de qualidade do Inmetro e que estejam de acordo com as normas brasileiras.

Crianças maiores, com mais de 30 kg, podem sentar no banco normal do veículo e usar cinto de segurança, sempre no banco traseiro. Quando a criança estiver usando cinto de segurança, lembre-se de ajustar o cinto para o tamanho e alturas corretos.

Brincando com segurança

Poucas coisas trazem tanta alegria para uma criança como um brinquedo novo, mas o que pode parecer algo inofensivo pode causar sérios problemas, por isso quando for dar um brinquedo a uma criança, veja se está adequado para idade, se tem selos de qualidade, e siga algumas recomendações para uma brincadeira saudável.

Dicas de segurança ao brincar

  • não deixe brinquedos jogados ou espalhados pelo chão, pois facilitam quedas, ou podem machucar a criança que caia sobre eles com partes mais sensíveis (olhos, dentes, etc.). Guarde os brinquedos sempre de forma adequada e os mantenha em boas condições de uso;
  • brinquedos pequenos ou que tenham partes pequenas que se soltem facilmente, devem ser evitados para crianças menores, que podem colocá-los nos ouvidos, narinas ou mesmo engoli-los;
  • cordas para pular, cordões, fios e objetos semelhantes podem ser perigosos se amarrados em partes do corpo ou usados de maneira inadequada, podendo causar estrangulamentos, queimaduras, e pânico numa criança que fique presa sem conseguir se soltar;
  • armas de brinquedos que atirem peças inofensivas, podem causar lesões graves nos olhos ou áreas mais sensíveis. O mesmo vale para objetos que possam ser arremessados (bolas, dardos, etc.);
  • brinquedos com rodas como bicicletas, triciclos, patins etc., podem riscos não somente nas quedas, mas o uso em ruas movimentadas (atropelamentos) ou em lugares que tenham piscinas, rios, lagos, fontes etc;
  • bóias e infláveis de piscina devem ser usados com cautela e sob supervisão de um adulto;
  • brinquedos como laboratórios de químicas ou para fazer experiências em casa, devem ser observados por adultos;
  • brinquedos que necessitem uso de baterias, pilhas, ou eletricidade também podem merecer supervisão de um adulto dependendo da idade da criança;
  • finalmente cuidado com embalagens plásticas, sacos de supermercados, etc., que podem sufocar a criança quando colocados na cabeça.

Dicas para comprar brinquedos:

  1. Ler o rótulo: leia cuidadosamente o rótulo, observado as especificações e cuidados que o brinquedo necessita (supervisão de adulto, uso em ambiente aberto, etc.);
  2. Pense grande: para crianças pequenas veja se as partes são suficientemente grandes que impeçam a criança de engoli-las ou colocar em orifícios do corpo;
  3. Evite comprar brinquedos que arremessem pequenos objetos no ar;
  4. Evite brinquedos que façam ruídos altos, pois podem prejudicar a audição se a criança for exposta por tempo prolongado;
  5. Evite brinquedos feitos com materiais tóxicos (tintas, solventes, etc.), que tenham partes que se quebrem facilmente, que tenham partes de vidros, ou seja, pontiagudos;
  6. Brinquedos com fios aparentes, que esquentam muito quando usados podem causar queimaduras ou choques.

Orientação de brinquedos adequados a cada idade

Crianças até 1 ano

Para crianças nesta faixa etária, escolha brinquedos coloridos, de fácil manuseio (leves, e que se segura facilmente), que tenham sons e sejam agradáveis ao toque, e que possam ir à boca.

  • livros de pano ou plástico com figuras grandes;
  • blocos de madeira ou plástico;
  • animais ou bonecos de pano, que sejam macios, laváveis;
  • bolas, potes, objetos que possam ser apertados e façam barulhos;
  • brinque que flutuem para ser usados no banho.

Crianças de 1 a 2 anos.

Crianças nesta faixa etária já interagem mais com o ambiente e geralmente são curiosos. Possuem maior habilidade e gostam de experimentar novos desafios.

  • carrinhos e bonecas que façam barulhos;
  • blocos para empilhar;
  • telefones (cuidados com os fios), brinquedos musicais;
  • livros resistentes e com figuras grandes.

Crianças de 3 a 5 anos (pré-escolares)

Nesta idade as crianças começam a imitar os adultos e são muito criativos.

  • livros;
  • lousas ou quadros de rabiscar;
  • lápis de cor, tintas para pintar com dedos;
  • blocos de construções e brinquedos de encaixes;
  • brinquedo que imitem atividades (casinhas, cozinhas, ferramentas, etc.);
  • brinquedos de transporte (carrinhos, bicicletas, triciclos).

Crianças de 5 a 9 anos

Crianças deste grupo já vão a escola, já estão alfabetizadas e tem bastante habilidade manual.

  • livros de estórias;
  • jogos de cartas e de tabuleiro;
  • utensílios profissionais (médicos, enfermeiras, bombeiros, etc.);
  • bicicletas, patins (não se esqueça de capacete e proteção), pular corda;
  • bolas, uniformes, e equipamentos esportivos;
  • trens elétricos, computadores infantis;
  • instrumentos musicais.

Crianças de 10 a 14 anos:

São crianças que muitas vezes já tem hobbies ou preferências devido às habilidades próprias.

  • jogos de computação;
  • jogos de tabuleiro (xadrez, damas, gamão);
  • microscópios, telescópios, lunetas, etc;
  • equipamentos esportivos.

Convivendo em ambientes com fumantes

O fumo de tabaco está entre as primeiras causas de morte evitáveis do Mundo. Hoje em dia se sabe que conviver no mesmo ambiente com pessoas que tenham o hábito de fumar pode ser perigoso, especialmente para crianças.

O uso de tabaco (cigarros, cachimbos, charutos, cigarrilhas, etc.) durante a gravidez, aumenta a chance de um parto prematuro, de um bebê de baixo peso, e a continuação do uso após o nascimento do bebê, aumenta a chance da síndrome da morte súbita do recém nascido e em crianças menores de 2 anos aumenta o risco de problemas como otites e inflamações do ouvido, doenças respiratórias como bronquites, pneumonias e asma, além de infecções do sistema respiratório alto como sinusites, resfriados e gripes. Filhos de pais fumantes tossem mais, tem mais chiado no peito, obstrução nasal, irritação nos olhos.

Proteja seu filho de envenamentos

Venenos estão por toda a parte em nossas casas, falando assim, parece exagero, mas pensando em medicações, comésticos, pesticidas, raticidas, produtos de higiene e limpeza, tintas, solventes, e até mesmo algumas plantas podem causar envenamentos.

Crianças pequenas são as grandes vítimas de envenamentos, portanto esteja atento para algumas dicas de segurança:

  1. Mantenha medicação trancada ou fora do alcance da criança. Quando der alguma medicação não compare com balinha ou fale do gosto que é gostoso, lembre-se que muita medicação infantil tem sabores atrativos para a melhor aceitação por parte da criança;
  2. Cuidado com material de limpeza, nunca coloque em recipientes de refrigerantes ou de coisas que a criança costume comer ou beber;
  3. Quando usar venenos para ratos não deixe em locais onde a criança possa vê-los e come-los;
  4. Cuidado com latas de tintas, vernizes, solventes, pesticidas, etc., procure guarda-los em lugar seguro e se possível trancado;
  5. Tenha sempre a mão o telefone centro de intoxicações da sua região (http://www.sbtox.org.br/centos.asp).

Centro de Referência Toxicológica da Cidade de São Paulo
Telefone: 0800 771 3733
Forneça os seguintes dados:
Idade da Criança
Peso aproximado
Medicação ou a suspeita do que foi ingerido
Horário Aproximado




Veja mais textos e informações úteis em nosso Blog sobre a saúde infantil - http://saudeinfantil.blog.br/

TOPO DA PÁGINA