Alimentação do adolescente: Quais os principais problemas?



Todos nós, pais e mães de filhos jovens, estamos preocupados pelo que vemos no nosso dia a dia, principalmente em cidades como São Paulo, onde os adolescentes vivem em Shopping Centers e se alimentam em lanchonetes e de alimentos pouco nutritivos, raramente ingerindo frutas, verduras, legumes ou lacticínios.

O problema nº 1

Falta do café da manhã ou de outra refeição

Em uma pesquisa realizada nos EUA com mais de quatrocentos meninos e meninas com idades entre 9 e 15 anos, constatou que metade delas afirmou pular o café da manhã, antes de ir para a escola.

Muitos jovens simplesmente não estão com fome nessa hora, mas o maior obstáculo para uma refeição matinal parece ser uma falta de tempo, pois é melhor 10 a 15 minutos a mais na cama.

No momento em que finalmente se sentam para lanchar na escola, eles podem estar com doze, quatorze ou mais horas sem comer.

Ao fazer isso, eles estão privando o cérebro de nutrientes essenciais necessários para a concentração, memória de curto prazo, resolver problemas e processamento de informações entre outras coisas.

Faltando qualquer uma das três tradicionais refeições reduz também a ingestão diária requerida para o cálcio, vitaminas, proteínas e calorias. Afinal, um jovem nesta faixa etária está crescendo e se desenvolvendo muito, necessitando se alimentar bem para permanecer saudável.

O que você pode fazer

No caso do adolescente que pula refeições como o café da manhã, é necessário explicar o porquê e ajudá-lo, talvez preparando uma parte do café anteriormente, facilitando sua vida e ajudando com a oferta de alimentos saudáveis, ricos nestas substancias e calóricos. Um café da manhã nutritivo deve fornecer um mínimo de trezentas calorias.

Se o tempo for curto, pode oferecer fruta fresca com iogurte , ou bater algumas frutas no liquidificador, acrescente leite desnatado e misturar algum cereal. Isso também pode-se preparar no dia anterior e mantido refrigerado em geladeira.

Pães, bolos, bolachas com manteiga, requeijão, queijo, também são fontes de carboidratos e de cálcio.

Outra idéia que pode ser utilizada é a de uso de barras de cereais, sanduíches, nozes e castanhas ou de iogurtes líquidos, que podem ser carregados no bolso ou na mochila, além é claro de frutas como maçãs, tangerinas ou bananas, que não precisam de utensílios para serem comidas.

O problema nº 2

Falta de tempo para sentar e comer devagar ou o ?fast food¨″

Grande parte dos adolescentes que se alimentam na escola ou fora de casa não procura uma refeição nutricionalmente equilibrada, mas sim apetitosa.

Eles também gastam muito tempo amontoados em barracas de alimentação, ou restaurantes de fast-food. A popularidade desses estabelecimentos tem menos a ver com a qualidade da comida e mais com o fato de que proporciona um espaço informal e barata para a socialização e apetitosa para estes jovens.

Apesar das campanhas para que estes restaurantes ofereçam opções saudáveis, raramente esta é a opção feita pelo jovem.

O que você pode fazer

Compartilhe com seu filho adolescente as suas preocupações em relação a comida saudável, com altas taxas de gorduras, de calorias, de sal e com pouco valor nutritivo. Que não é uma boa opção se alimentar de frituras e que pode optar por outras escolhas, como sanduíche de rosbife ou frango grelhado, ou quem sabe um de atum em vez de hambúrguer. Uma esfilha em vez de pastel ou coxinha de frango. Um suco ou água em vez de refrigerante.

Ensine-o a ler as tabelas nutricionais impressas nos rótulos para que ele aprenda a ver quanto de caloria, gordura e de sal tem naquele alimento, para que ele se conscientize.

À sua maneira, explique que os condimentos também engordam. Explique que pedindo hambúrgueres com menos queijo, maionese, ketchup, e o sempre misterioso ¨"molho secreto¨", terá menos calorias e coisas inúteis que só engordam. Recheio de pizza com legumes ao invés de lingüiça, calabresa e outras carnes gordurosas.

Peça para salada para ser servido como acompanhamento em vez de fritas e tente friamente resistir à pressão sutil do garçon para as tentações de transformar sua simples batata cozida em algo com camadas de creme de leite, queijo derretido, bacon e cebolinha.

Em casa escolha carnes magras de peru ou chester, em vez de gordurosos como os frios (salames, presuntos, mortadelas). Prefira os pães integrais ou de iogurte por serem ricos em fibras e vitaminas.

O problema nº 3

Comer fora do horário

Adolescentes consomem quase um quarto de suas calorias diárias de petiscos. Esta é uma área de alimentação que os pais podem controlar, procurando não ter em casa este tipo de alimento.Lembre-se que adolescentes em São Paulo, quando estão em casa, gastam boa parte de seu tempo em frente de TV, de computador ou de jogos de vídeo games, e invariavelmente , estarão comendo alguma coisa.

O que você pode fazer

Tenha lanches saudáveis à mão. Grande parte do tempo, as crianças lancha fora de hora por hábito, não porque eles são realmente com fome. Quando um rapaz corre para a cozinha durante o intervalo comercial e tem dois minutos e vinte segundos para pegar um lanche e voltar para a TV, a conveniência é tão importante como gosto.

Se a despensa está abastecida com alimentos de baixo teor de gordura, baixo teor de açúcar, ou salgadinhos, é este que ele vai pegar.

Se não tiver outras opções, e ele está realmente com fome, ele optará pela fruta, pelo bolo, ou por alguma opção mais saudável, mas que pode e deve ser saborosa.

Aqui estão algumas dos alimentos que pode ter a mão para estes jovens:

  • Bolachas água e sal ou Cream crackers ou água;
  • Salgadinhos assados em vez de fritos;
  • Pipoca (sem manteiga);
  • Suco de maçã ou outras frutas e Sucos com soja;
  • Gelatina;
  • Granola ou cereais sem açúcar;
  • Ovos cozidos;
  • Iogurte e O frozem iogurte em vez de sorvetes;
  • Nozes sem sal;
  • Queijos com baixo teor de gordura;
  • Uvas passas, ameixas, damascos e outras frutas secas.

Atualizado por: Dr. José Luiz Setúbal 27/4/2011
Fonte: Cuidar do seu Adolescente
(Copyright © 2003 Academia Americana de Pediatria)




Veja mais textos e informações úteis em nosso Blog sobre a saúde infantil - http://saudeinfantil.blog.br/

TOPO DA PÁGINA