Insuficiente Renal Aguda



 

Definição: diminuição abrupta do ritmo de filtração pelos rins e determinando aumento no sangue de uréia e creatinina e resultando na incapacidade do rim em regular homeostase de fluidos, eletrólitos e equilíbrio ácido-básico.

A perda súbita da função renal pode resultar de inadequada perfusão renal associada a:

o        Diminuição na circulação sanguínea efetiva (IRA pré-renal)

o        Lesão celular renal por insulto isquêmico, tóxico, imunológico ou infeccioso (IRA renal)

o        Obstrução do fluxo urinário (IRA pós-renal)

É um importante fator que contribui para morbidade e mortalidade de crianças criticamente enfermas com incidência de 0,8 casos  por 100.000 crianças

Etiologia:

o        IRA pré-renal

¡          Diminuição volume intravascular

ú                Desidratação

ú                Diarréia

ú                Doença perdedora de sal renal o adrenal

ú                Diabetes insípido central ou nefrogênica

ú                Perda de fluidos para o terceiro espaço (sepse, tecidos traumatizados, síndrome nefrótica)

¡          Diminuição do volume intravascular efetivo

ú                Insuficiência cardíaca congestiva

ú                Pericardite, tamponamento cardíaco

o        IRA renal ou intrínseca

¡          Doenças renais parenquimatosas (Glomerulonefrites, Síndrome Hemolítico-Urêmica, Pielonefrite)

¡          Necrose tubular aguda

ú                Isquemia-hipóxia prolongada

ú                Drogas

ú                Toxinas

o        IRA Pós-renal

¡          Válvula de Uretra Posterior

¡          Compressões extrínsecas ao trato urinário 

Prevenção:

o        Monitorização dos níveis séricos de creatinina quando do uso de drogas potencialmente nefrotóxicas.

o        Adequada manutenção do estado hemodinâmico quando houver risco de hipovolemia e isquemia renal

o        Adequada hidratação e alcalinização antes de quimioterapia

Objetivos do Tratamento:

o        Manutenção do equilíbrio hídrico, eletrolítico e ácido-básico

o        Manutenção do equilíbrio de cálcio e fósforo

o        Uso racional de medicamentos nefrotóxicos

o        Tratamento de Hipertensão Arterial Sistêmica

o        Suporte nutricional

o        Tratamento da doença de base e das complicações

o        Afastar processo obstrutivo do trato urinário baixo através de cateterização vesical.

Hipertensão arterial sistêmica

Pode ser secundária à  vaso-constrição periférica e/ou hipervolemia sendo a terapia inicial feita com diuréticos e vasodilatadores periféricos.

Nutrição

A IRA é uma condição hipercatabólica e, portanto nutrição inadequada pode ser fator de piora desta situação com retardo da recuperação da função renal.  Deve ser mantida a oferta apropriada de calorias e proteínas recomendada para cada faixa etária segundo a RDA.

 

Autores:

Dra. Ana Paula Brecheret

Dra. Maria Cristina de Andrade

Dra. Anelise Del Vecchio Gessullo

Fonte: Baseado no texto dos autores no livro:

Manual de Urgências e Emergências em Pediatria.

Hospital Infantil Sabará – Ed. Sarvier




Veja mais textos e informações úteis em nosso Blog sobre a saúde infantil - http://saudeinfantil.blog.br/

TOPO DA PÁGINA