Rede de Humanização

 

Projeto Cão Terapia

Em janeiro de 2014, o Sabará Hospital Infantil aderiu à Terapia Assistida por Animais (TAA) por meio de uma parceria pioneira com o projeto Cão Terapeuta. Essa terapia tem como principal objetivo criar laços entre uma pessoa e um animal como parte integrante do processo de recuperação.

Criado por Alexandre Rossi em 1998, com o objetivo de contribuir para a melhora de pessoas debilitadas ou com necessidades especiais, o Cão Terapeuta é uma instituição independente. Realiza visitas semanais, quinzenais, mensais e esporádicas a instituições que cuidam de crianças, adultos e idosos enfermos ou portadores de deficiência física e/ou intelectual e problemas mentais.

O instituto conta com 54 cães terapeutas e seus donos voluntários, dez voluntários sem cães e 24 adestradores, que têm a responsabilidade de cuidar da saúde e do comportamento dos cães terapeutas.

 

Pronto Sorrir

O Pronto Sorrir é um grupo de humanização que atua no Sabará Hospital Infantil desde novembro de 2012. Todos os integrantes são atores que se transformam em personagens do imaginário infantil dotados com poderes inusitados criados e desenvolvidos pelo grupo.

Os artistas circulam sempre em duplas pelos saguões do Hospital, quartos de internação e UTI interagindo com crianças, pais e funcionários.

 

Grupo Saracura

O Grupo Saracura é um coletivo que desenvolve práticas musicais especializadas e de caráter lúdico em hospitais. Sua proposta é garantir que as crianças tenham acesso à cultura e à música mesmo em períodos de confinamento.

O Saracura entoou seus primeiros acalantos em 2003, quando alguns de seus artistas foram convidados a tocar músicas para as crianças no Sabará Hospital Infantil. A parceria se efetivou em fevereiro de 2012.

Hoje, todos os músicos atuantes do Saracura são profissionais da área e têm de passar por um programa de capacitação, que aborda desde questões de aptidão técnica musical até noções de psicologia, protocolos de conduta e higiene específicos para a atuação dentro das unidades de saúde.

 

Viva e deixe viver

Desde 1993, o diretor-fundador da Associação Viva e Deixe Viver, Valdir Cimino, ajudava as crianças de um hospital comprando brinquedos para festas e bingos e organizando a arrecadação de tíquetes-refeição para a compra de leite.

Em 1997, ele passou a contar histórias para as crianças do Hospital, e aí se iniciou o projeto que mudou sua vida.

Hoje, a Viva é uma entidade sem fins lucrativos, não governamental, certificada pelo Ministério da Justiça como OSCIP. A Associação reúne mais de mil voluntários atuantes e está presente em hospitais de São Paulo e de outros estados e cidades.

 

Saiba mais sobre a Rede de Humanização