Visão geral

Investimento no cuidador, entrega de qualidade

Entendemos que cada profissional do Sabará Hospital Infantil tem um papel decisivo e relevante para garantir o bem-estar de nossos clientes e pacientes. Por fazerem parte desse processo, direta ou indiretamente, optamos por chamá-los de “cuidadores”, com o objetivo de envolver e engajar, fazendo com que todos se sintam responsáveis por nosso bem maior, que é a qualidade do nosso atendimento.

 

 

 

 

Gestão por Competências

Entendemos que todo processo de mudança e melhoria de performance parte da gestão. Dessa forma, construímos um modelo de competências necessárias aos líderes do Hospital, para que sejam capazes de sustentar sua missão institucional ao longo dos tempos.

Iniciado em 2014, o programa de Gestão por Competências funciona como uma capacitação voltada para lideranças com o objetivo de desenvolvimento de suas equipes, a fim de otimizar os resultados para atingir as metas do nosso mapa estratégico.

O conjunto de competências propiciou adequado alinhamento e clara definição daquilo que se espera dos líderes, especialmente no que diz respeito ao seu comportamento na Instituição. Uma das decorrências do modelo é a aplicação do próprio instrumento de avaliação de desempenho, que tem como principal objetivo apoiar os profissionais na detecção de seus gaps de competências e oferecer oportunidades para saná-los, por meio de um compromisso de desenvolvimento e aquisição de maturidade profissional.

A primeira fase do programa foi concluída no primeiro semestre de 2015 e a segunda iniciada no mês de outubro do mesmo ano. Com a implantação desse modelo de gestão, cerca de 84% dos planos de ação estabelecidos em 2015 foram cumpridos.

 

 

Treinamento e desenvolvimento

Pós-graduação em Administração Hospitalar*
Parceria com o Centro Universitário São Camilo
Participantes: 22 cuidadores
*Iniciado em 2014

Treinamentos externos
53 treinamentos realizados
Cuidadores treinados: 115
Setores: administrativo, assistencial e operacional

Treinamentos internos
31 treinamentos realizados

  • Gestão por Competências (capacitação de líderes e cuidadores)
  • Sistema TOTVS
  • Indicadores Gerenciais
  • Excelência no Atendimento ao Cliente
  • Utilização prática da ferramenta orçamentária
  • Higienização das mãos – controle de infecção
  • Nova intranet
  • Uso consciente da água e energia
  • Anotação e checagem de enfermagem para auditoria
  • Plan Do Check Act (PDCA)

 

Desenvolvimento médico

Em 2015 nossa diretoria médica esteve focada na estruturação de novos pilares de relacionamento e incentivo ao desenvolvimento das lideranças médicas para dar subsídios a novos projetos da área em 2016.

Nesse sentido, foram realizadas reuniões individuais com os sete coordenadores de Pronto-Socorro, os oito hospitalistas da Unidade de Internação e dois diaristas da Unidade de Terapia Intensiva, visando a aproximação e o engajamento em projetos futuros, como a implantação dos comitês assistenciais.

Esses encontros se constituíram uma ótima oportunidade para ouvir as lideranças, conhecer o perfil de cada profissional, suas expectativas e desenvolver um amplo canal de comunicação.

Fortalecemos o incentivo à qualificação da equipe assistencial, realização de trabalhos científicos, publicação de artigos, e apresentações em congressos, com ajuda de custo do Hospital.

Tendo em vista o foco de nossa atuação em alta complexidade, dois médicos de nossa equipe de ECMO puderam realizar estágio de um mês no Stollery Children’s Hospital, em Edmonton, Canadá.

Também foram desenvolvidas ações de suporte e valorização da gestão da qualidade assistencial e gerenciamento de riscos, durante as reuniões institucionais periódicas com participação dos gestores, demandando o aprofundamento das análises críticas e eficiência dos planos de ação decorrentes.

Merece ainda destaque o desenvolvimento de um plano de contingência para o pico de atendimento em 2016.

Considerando o histórico de impacto da alta demanda relacionada à sazonalidade das doenças respiratórias, essa ação visou mitigar riscos e garantir a disponibilidade racional de recursos, bem como a adequação dos processos assistenciais e administrativos às condições diferenciadas de atendimento durante esse período.