Verão é bom, mas pode ser perigoso

O verão pode ser a época mais divertida do ano para as crianças, e também a mais perigosa se você não tomar alguns cuidados.

 

Água

Afogamentos estão entre as principais causas de morte por acidentes entre as crianças de até 14 anos. Eles podem acontecer em qualquer lugar com água e basta 2,5cm de profundidade para um bebê se afogar. Segundo a ONG Criança Segura, uma criança pode perder a consciência depois de 2 minutos submersa e, após quatro minutos, pode ter danos irreversíveis no cérebro. É tudo muito rápido, por isso não deixe uma criança sozinha perto da água, mesmo que seja uma piscininha infantil. A principal dica é vigilância constante.

Saiba mais

 

Sol

As queimaduras solares não apenas causam dor, como também podem aumentar os riscos de câncer de pele no futuro. Além do protetor solar e chapéu, hoje há roupas infantis com proteção UV que protegem bem a pele das crianças.

Crianças acima de 6 meses já podem usar quase todos os tipos de protetores solares, procure um fator de proteção alto. Mesmo com todos esses cuidados, elas só devem ficar expostas nos momentos de sol mais fraco, antes das 10h ou depois das 16h.

 

Calor

As crianças de até 4 anos são as de maior risco em caso de calor excessivo. As roupas devem ser leves, arejadas e clarinhas, o que também ajuda a proteger a pele em relação às famosas brotoejas.

“A criança tem proporcionalmente, em relação ao adulto, uma superfície de pele maior, o que ajuda a se livrar do calor através do suor. Por outro lado, elas têm um ritmo metabólico mais acelerado e os bebês manipulam mal a liberação de calor pela pele, que não tem as glândulas de suor bem desenvolvidas”, explica o Dr. Felipe Lora, gerente do Pronto Socorro do Sabará Hospital Infantil.

Um dos problemas que podem acontecer é a insolação. Fique de olho nos seguintes sintomas: temperatura corporal alta (mais de 39 graus), dor de cabeça, tontura, náusea e confusão mental. Se for o caso, procure um médico e leve a criança para um lugar mais frio ou um banho frio.

 

Insetos

Você pode adotar barreiras físicas contra os pernilongos, como telas nas janelas ou no berço. Antes de aplicar um repelente, leia as instruções no rótulo e a idade mínima recomendada (alguns não são indicados para crianças menores de 2 anos). Cuidado com mãos, olhos, boca e feridas durante a aplicação.

“Alguns repelentes podem ser aplicados sobre a roupa, diminuindo a área de contato com a pele da criança, sendo esta boa estratégia para reduzir o risco de alergias”, explica o Dr. Felipe.

 

Alimentação

Verão é época de surgirem nos Pronto-Socorros casos de desidratação e diarreias, que podem acontecer por infecção ou por intoxicação alimentar, já que nessa época o calor faz os alimentos estragarem mais rápido. A prevenção deve ser feita através da conservação adequada dos alimentos ingeridos e oferta hídrica abundante.

Ofereça às crianças frutas ricas em água, como abacaxi, melancia e uva, que hidratam e são fáceis de conservar um uma bolsa térmica.

Saiba mais

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 19/1/2018