Controle da dor

Confira algumas perguntas e respostas e acabe com as dúvidas sobre a anestesia de seu filho

 

O que é anestesiologia?

É a especialidade médica que estuda e proporciona ausência de dor ao paciente que necessita realizar procedimentos médicos como cirurgias ou exames diagnósticos.

 

Qual o tipo de anestesia que meu filho irá receber?

Os pacientes pediátricos, na maioria das vezes, necessitam receber anestesia geral, que pode variar de uma sedação (em exames diagnósticos) até uma anestesia profunda (procedimentos cirúrgicos), que proporciona que o paciente fique totalmente inconsciente e sem dor durante a cirurgia. Frequentemente em Pediatria associamos a anestesia geral à alguma técnica de bloqueio loco-regional, que pode ser de uma peridural até uma simples infiltração de anestésico local. Essas técnicas irão garantir ausência de dor no pós-operatório.

 

Costumamos ouvir que a anestesia para crianças é só um “cheirinho”. Essa é uma anestesia mais simples e com menos riscos?

O “cheirinho” nada mais é que o anestésico em forma de gás, inalado com a respiração. Essas medicações são as mesmas empregadas na maioria das anestesias dos adultos.

 

O que é a indução anestésica?

A indução anestésica é o início da anestesia e acontece dentro da sala de cirurgia ou sala de exame. A indução pode ser inalatória, quando o anestésico é administrado através da respiração, ou venosa, pela administração de medicações na veia. Inicialmente, o anestésico inalado pode gerar adocicamento da boca e sensação de bem-estar, as crianças podem dar risadas nesse período. Após alguns minutos, o efeito do anestésico inalatório pode desencadear uma agitação psicomotora, com movimentos involuntários por poucos minutos e depois uma rápida perda da consciência, ou seja, adormecimento.

 

O que meu filho irá sentir depois da anestesia?

Depende da idade, da personalidade, da cirurgia, do tipo de anestesia e das condições de saúde da criança. Na maioria das anestesias, as crianças não sentem e não se lembram de nada depois, muitas vezes querem até brincar ou se alimentar no pós-operatório imediato. Apenas um pequeno número de crianças apresenta algum tipo de reação após a anestesia, sendo mais frequente em crianças pequenas, que muitas vezes não sabem explicar ou não entendem o que estão sentindo. Essas crianças podem apresentar irritação, agitação ou choro inconsolável, mas na maioria dos casos não é necessário nenhuma medicação para tratamento.

Conteúdo fornecido pela anestesiologista Débora de Oliveira Cumino, CRM 87604.

 

A Escala de FLAAC é utilizada pelos enfermeiros para avaliar o nível de dor que a criança está sentindo, veja abaixo os critérios de avaliação: